Canal de Entretenimento, filmes, lançamentos, trailers de cinema, notícias, trailers de jogos, programas de televisão, jogos pc, xbox, playstation.

Conheça Enola Holmes e entenda a polêmica do filme da Netflix

0

<!–
–>

Millie Bobby Brown não é só a Eleven de Stranger Things, ela estará na Netflix também como Enola Holmes, irmã do famoso detetive Sherlock Holmes, no novo filme original do serviço de streaming.

Baseada na série de livros publicados entre 2006 e 2010 pela autora Nancy Springer, a produção estreia em setembro, tem direção de Harry Bradbeer (diretor de episódios de Fleabag) e roteiro de Jack Thorne (Extraordinário). A protagonista do longa falou um pouco do filme ao USA Today. “O que você está assistindo é uma jovem tentando se encontrar em um caos agitado que ela realmente não sabe lidar, mas isso é o tipo de vida em geral para uma adolescente”, contou Brown.

Sherlock Holmes será interpretado por Henry Cavill, o Superman da Liga Da Justiça e The Witcher da Netflix. “Ela era muito inteligente, mas usava isso de uma maneira mais bem-humorada, enquanto Sherlock Holmes realmente não”.

O longa se passa na Inglaterra, em 1884. Na manhã do seu aniversário de 16 anos, Enola Holmes (Bobby Brown) descobre que a mãe (Helena Bonham Carter) desapareceu. A jovem decide ir atrás de seu paradeiro, mas é enviada por seus irmãos Sherlock (Cavill) e Mycroft (Sam Claflin), muito mais velhos do que ela, para uma escola de etiqueta para aprender boas maneiras. A garota não aceita a decisão e foge do local para uma jornada de aventuras e mistérios em busca da mãe.

No melhor estilo Deadpool e Fleabag, cuja série o diretor dirigiu episódios, Enola quebrará a quarta parede e falará diretamente com o público. “Ela precisava de nós nessa jornada. Não era apenas brincalhão. Foi necessário. Você sente que o narrador não confiável, porque ela fala conosco com mais bravura do que realmente tem. Ela tem aquela arrogância obstinada de uma adolescente que tenta esconder o medo”.

Polêmica

Os donos dos direitos da obra de Arthur Conan Doyle, criador do personagem Sherlock Holmes, resolveram processar a plataforma de streaming Netflix pelos direitos autorais do filme sobre a irmã do detetive. Embora a adaptação seja baseada em uma série de romances da escritora Nancy Springer que criou a irmã adolescente do personagen clássico, os herdeiros acreditam que existem motivos para tal processo. A gente explica:

Os primeiros romances de Holmes são de domínio público, ou seja, passaram-se mais de 100 anos de sua criação e seus personagens podem ser usados livremente. Já o novo processo alega que elementos do livro de Nancy (e consequentemente do filme) usam detalhes ainda sob controle da família de Arthur Conan Doyle.

O processo diz, por exemplo, que o detetive só expressou sentimentos em relação às mulheres nos últimos 10 livros da série. “Holmes ficou mais caloroso. Conseguiu estabelecer uma amizade. Podia expressar emoções. Ele começou a respeitar as mulheres”, diz o processo encaminhado ao tribunal federal do Novo México no final de junho.

O documento diz que, além de usar os personagens publicamente disponíveis, os romances de Springer copiam as novidades originais de Conan Doyle em histórias ainda protegidas por direitos autorais.

Além da Netflix, o processo também atinge a própria Nancy Springer, a editora Penguin Random House e à produtora do filme: Legendary Pictures. Como isso vai terminar? Ainda é cedo para dizer, mas não deve influenciar o lançamento do filme na plataforma digital. Enola Holmes tem lançamento programado para setembro na Netflix.

Fonte: Cineclick

Comentários
Carregando...