Canal de Entretenimento, filmes, lançamentos, trailers de cinema, notícias, trailers de jogos, programas de televisão, jogos pc, xbox, playstation.

Quando a ficção é muito mais catastrófica que a realidade

0

<!–
–>

Hollywood já produziu vários filmes sobre vírus e apocalípses, cada um com a sua pecualiaridade e tom. Diretores como Danny Boyle (Quem Quer Ser Um Milionário?) e Matt Reeves (The Batman) já trabalharam com o tema nos cinemas e criaram grandes histórias, que extrapolam o real. Confira alguns filmes em que a ficção é muito mais catastrófica que a realidade: 

Mad Max: Estrada Da Fúria

A franquia deu origem ao visual punk apocalíptico tão comum em outros filmes e jogos. Embora todos os filmes da franquia Mad Max sejam ótimos, o quarto é simplesmente sensacional e merece representar o épico de George Miller. Na trama, Max é obrigado a fugir de um grupo de selvagens, mas acaba capturado e a ação se desenrola a partir daí. O filme é um um soco no estômago nos filmes de ação. Exageros, acrobacias e personagens excêntricos são elementos primordiais que fazem dessa produção algo magnífico. Assim como o mundo onde sua história é ambientada, Estrada da Fúria é lindo e brutal. 

Mad Max: Estrada Da Fúria

Eu Sou A Lenda

Esse filme é marcante pelas cenas de isolamento de Will Smith em uma Nova York abandonada. Na trama, após um misterioso vírus destruir boa parte da humanidade, Robert Neville (Will Smith) vive sozinho e acredita ser o último homem na Terra. Ao lado de seu cão, ele vaga pela cidade lutando por sua sobrevivência, procurando uma cura e esperando sempre pelo pior. Até que descobre que não está sozinho.

Eu Sou a Lenda

O Livro De Eli

Com dezenas de referências a Mad Max, Era uma Vez no Oeste, O Planeta dos Macacos, Eu Sou a Lenda, esse filme começa sem maiores explicações, mostrando um mundo arrasado e o fim da civilização como a conhecemos. No melhor estilo faroeste, um viajante solitário (Denzel Washington) ruma obstinadamente… para o oeste, é claro, ícone da colonização e da ilusão de novos tempos da cultura norte-americana. Sua missão é atravessar os EUA para conseguir passar adiante conhecimentos que podem ser a chave para a redenção do planeta, escritos em um misterioso livro.

O Livro de Eli

Guerra Mundial Z

Esse filme de zumbi se propôs a ter um tom diferente dos padrões. Na trama, Gerry Lane (Brad Pitt), representante da ONU, atravessa o mundo em uma corrida contra o tempo para deter uma pandemia que está derrotando exércitos e governos e ameaçando dizimar a própria humanidade.

Cena de Guerra Mundial Z

Waterworld – O Segredo Das Águas

Esse é um daqueles filmes que marcam, mesmo sendo fraco e repleto de problemas. E admito que me divirto com ele quando passa na TV até hoje. Na trama, Kevin Costner interpreta um mutante que vive numa Terra quase completamente coberta por água. Ele se junta a pessoas de uma comunidade oprimida na luta contra saqueadores e na procura por um lugar mítico chamado Terra Firme.

Waterworld

Madrugada Dos Mortos

Esse é um grande filme de zumbis. Os lentos mortos-vivos do também espetacular filme original (Despertar Dos Mortos) são substituídos por verdadeiros atletas corredores. O estilo pode ter mudado, mas a ideia é a mesma: Ana (Sarah Polley) é uma enfermeira que está voltando para sua casa para ficar ao lado do marido no final do dia. Mal desconfia que há um vírus misterioso transformando em zumbis não somente a população de sua cidade, mas do mundo inteiro. Ótimo filme.

Madrugada Dos Mortos

Extermínio 

Após acidente em uma experiência genética, um vírus poderoso e letal, transmitido pela gota de sangue, infecta todos os habitantes da Inglaterra, deixando os poucos sobreviventes em um permanente estado de fúria assassina. Em apenas 28 dias, o vírus se alastra pelo mundo inteiro, deixando algumas pessoas intactas que começam a lutar pela própria sobrevivência. Um dos longas mais impactantes desse subgênero.

Cena de Extermínio

Planeta Dos Macacos: A Guerra

Na trama, os macacos são afetados por um vírus e se tornam inteligente, procurando sua liberdade e colapsando a sociedade humana. O último filme da saga desenvolve a trama dos macacos inteligentes, mas também retoma alguns conceitos de como o vírus símio começou. Além disso, outras consequências da doença são mostradas e a guerra entre macacos e humanos é inevitável.

Planeta dos Macacos:A Guerra

Vírus (2009)

 Um vírus mortal se espalhou por todo o planeta. Danny (Lou Taylor Pucci), seu irmão Brian (Chris Pine), Bobby (Piper Perabo) e Kate (Emily VanCamp) percorrem as estradas do oeste norte-americano, rumo a uma praia isolada ligada à infância dos irmãos. Eles acreditam que lá estarão seguros. É o início de uma jornada onde eles precisam enfrentar não apenas o vírus mortal, mas também a desconfiança existente entre eles em uma luta desesperada para sobreviver.

Cena de Vírus

O Exterminador Do Futuro 2

A sequência do clássico de 1984 e amplia o universo de James Cameron sobre a rebelião dos humanos contra as máquinas, que decidiram destruir a humanidade com bombas nucleares e caça aos sobreviventes. Embora boa parte do filme se passe no presente, o longa começa no futuro apocalíptico dominado pelas máquinas e as coisas não estão nada boas para a humanidade. Na trama, T-1000, um androide de metal líquido, é enviado de volta no tempo para matar John Connor, líder da resistência, ainda criança, mas, para isso, ele precisa passar pelo T-800 de Arnold Schwarzenegger. Clássico.

O Exterminador do Futuro 2

A Estrada

Um daqueles filmes intensos. Na história, um Homem (Viggo Mortensen) e seu Filho (Kodi Smit-McPhee) tentam sobreviver a qualquer custo num mundo destruído por um evento catastrófico, aparentemente a queda de um meteóro que faz a socidade entrar em colapso. A ação não é o forte do longa, embora ela esteja presente, mas a questão aqui é o lado psicológico que uma catástrofe causa na mente das pessoas. De arrepiar.

A Estrada

Os 12 Macacos

É perturbador e extremamente divertido esse longa que acompanha James Cole (Bruce Willis), um prisioneiro do ano de 2035, que troca sua liberdade por uma missão nada convencional: voltar no tempo e evitar a propagação de um vírus que devastou a maioria da população da terra (Os sobreviventes são obrigados a morar no subterrâneo). Ele retorna no ano de 1990, seis anos antes do início da praga, e é logo internado num manicômio. Terry Gilliam sabe como construir um mundo perturbado e decadente (Basta assistir ao recente O Teorema Zero) e faz isso como ninguém.

Os 12 Macacos

Veja também: Os 15 melhores filmes apocalípticos de todos os tempos

Fonte: Cineclick

Comentários
Carregando...